Página Inicial Competição Sobre os Campeonatos Europeus Atletismo Pista Coberta – Glasgow 2019
Campeonatos Europeus Atletismo Pista Coberta - Glasgow 2019

Sobre os Campeonatos Europeus Atletismo Pista Coberta – Glasgow 2019

Está concluída mais uma edição dos Campeonatos Europeus de Atletismo de Pista Coberta. Depois de Birmingham ter recebido os Mundiais de 2018, um ano depois o Reino Unido voltou a acolher mais um grande evento de pista coberta, desta vez em Glasgow (Escócia).

Distribuído por três dias de competição, o certame presenteou o público local e os espectadores com bons momentos de disputa que agora são motivo de realce neste artigo. Portugal, representado por 13 atletas, teve uma prestação discreto-satisfatória a nível global, não abandonando a contenda sem antes deixar lá bem vincadas as suas cores. Por quem mais? Pelo suspeito do costume, Évora!!!

 

Sobre o Dia 1

Como é normal, o primeiro dia de competição teve mais rondas de qualificação do que finais de concursos. No entanto, não foi por isso que teve menos emoção que os seguintes, para agrado de todos. Eis alguns dos pontos a assinalar.

 

Francisco foi Belo no lançamento do peso

Uma nova marca pessoal (20.97 metros) valeu a Francisco Belo um excelente quarto lugar no lançamento do peso. Embora possa ser aquele lugar que ninguém quer, com as medalhas ali tão perto, a sua excelente prestação, comprovada por novo recorde pessoal, enche de orgulho qualquer português que tenha acompanhado e torcido pela sua nação nestes campeonatos.

 

Laura Muir à procura do duplo Ouro

Uma das grandes favoritas à vitória nos 1500m e nos 3000m. Conhecedora dessa forte possibilidade, Muir (Reino Unido & Irlanda do Norte) correu e venceu a sua eliminatória dos 1500m para, cerca de hora e meia depois, estar presente na final dos 3000m. Nesta última, Laura Muir voou para o Ouro depois de uma última volta espetacular onde deixou “pregada ao chão” a até então líder da prova, Konstanze Klosterhalf (Alemanha).

Nota semelhante para um dos atletas europeus mais promissores da atualidade nas provas planas. Sensivelmente no mesmo espaço de tempo, Jakob Ingebrigsten participou e dominou as eliminatórias dos 1500m e 3000m.

 

Katarina Johnson-Thompson domina o pentatlo feminino

Não há muito para dizer, até porque foi o resultado esperado. Todavia, não pode deixar de ser referenciado após mais uma excelente prestação da britânica. Vitória no pentatlo feminino para Katarina Johnson-Thompson (Reino Unido & Irlanda do Norte), que junta assim esta conquista à dos mundiais do ano passado, onde também correu em casa.

 

Sobre o Dia 2

Um dia muito discreto para Portugal, cujas finais do programa justificaram bem o seu nome.

 

Duelo de polacos no salto com a vara

Apesar da ausência dos dois grandes protagonistas da atualidade, a Polónia fez questão de mostrar que também sabe entreter o público. Pawel Wojciechowski (5.90 metros) e Piotr Lisek (5.85 metros) travaram um duelo extremamente interessante que terminou com a coroação de Wojciechowski, embora antes da contenda Lisek fosse o principal favorito.

 

Jakob Ingebrigsten vence os 3000m

O confirmar de todas as expectativas. Após dois terços de prova mais controlados, Jakob (7:56.15) assumiu o comando para nunca mais o largar. Fica a ideia que não seria necessário, mas o Ingebrigsten mais novo em prova contou ainda com a proteção do seu irmão, Henrik (Noruega), que, de certa forma, o protegeu de um assalto final de Chris O’Hare (Reino Unido & Irlanda do Norte).

 

Finais dos 400 metros

Ambas de grande nível. Na feminina, destaque para o equilíbrio e a incerteza que acompanharam a luta pelo Ouro até à linha de meta. A vitória acabou por sorrir à suíça Léa Sprunger (51.61) que levou a melhor sobre a belga Cynthia Bolingo Mbongo (51.62).

Do lado masculino, valeu pela velocidade a que a prova foi disputada. Nível máximo, com o norueguês Karsten Warholm (45.05) a sair determinado da linha de partida em dar o máximo e a não esperar por ninguém. O espanhol Óscar Husillos (45.66) bem tentou, mas Warholm revelou-se inalcançável, num registo igual ao melhor de sempre de uns Europeus de Pista Coberta na distância.

 

Finais dos 60 metros

No feminino, a confirmação de Ewa Swoboda (Polónia), que vinha a afirmar favoritismo ao longo das eliminatórias e na derradeira prova venceu com clareza (7.09).

Do lado masculino, a prova merece destaque pela vitória tangencial do sérvio Ján Volko (6.60) sobre Emre Zafer Barnes (Turquia) e Joris van Gool (Holanda). Quanto mais curta a prova, maior a probabilidade de a diferença ser mínima, e esta não fez por menos. Vale a pena ver a photofinish.

 

Campeonatos Europeus Atletismo Pista Coberta - Glasgow 2019 | Final Masculina 60 Metros Photofinish

 

Sobre o Dia 3

Um dia quase exclusivo a finais, onde os grandes destaques foram as provas do triplo salto (para Portugal!), os 1500m e a prova de estafetas masculina.

 

Patrícia Mamona e Susana Costa às portas do pódio

Um salto de 14.43 metros foi o melhor de ambas as portuguesas, o que as deixou no 4º e 5º lugar da prova e a escassos 4 centímetros do pódio. Bons resultados que deixam no ar a esperança de um dia chegarem mesmo às medalhas que tanto desejam. Uma nota adicional para Susana Costa que com esta marca alcançou um novo recorde pessoal.

 

Finais dos 1500 metros

Alguma surpresa na prova masculina, com Marcin Lewandowski (3:42.85) a levar a melhor sobre Jakob Ingebrigsten quando todos os holofotes recaíam sobre o júnior norueguês. Grande prestação do atleta polaco (vale a pena ver!) que assim deu à Polónia mais um motivo para festejar.

Na prova feminina, Laura Muir (4:05.92) voltou a não dar hipótese. A escocesa mostrou que quando vai para a frente é mesmo para arrumar com a questão. À semelhança do que fez nos 3000m, Muir voltou a sair disparada a certa altura da prova de forma a mais ninguém a conseguir seguir. Incrível!

 

Estafeta 4 x 400m masculina

Emocionantes ao seu próprio estilo, a prova de estafetas masculina destacou-se pela luta entre Bélgica e Espanha pela vitória, que durou, durou e durou. Os belgas, à boleia dos irmãos Borlée, ficaram com o Ouro (3:06.27), mas a Prata não saberá a pouco para os espanhóis, pois a marca de 3:06.32 representa um novo recorde nacional.

 

Medalha de Prata para Nelson Évora

Depois de Bronze e Ouro nos Mundiais de Pista Coberta e Europeus de Pista ao Ar Livre do ano passado, respetivamente, veio agora a Prata. Do Nelson Évora já se espera e pede-se tudo, pelo que o Ouro era bem possível. Não aconteceu, mas fica mais uma grande conquista para Portugal à boleia de um atleta que não se cansa de nos dar alegrias. Os 17.11 metros que saltou só foram superados pelos 17.29 de Nazim Babayev (Azerbaijão).

 

Conclusão

Assim se passaram mais uns Campeonatos Europeus de Pista Coberta preenchidos por estes momentos dignos de registo e mais alguns.

No que às medalhas diz respeito, a equipa da casa (Reino Unido e Irlanda do Norte) foi a mais medalhada, com um total de 12 distribuídas por 4 de Ouro, 6 de Prata e 2 de Bronze. A Polónia conquistou 7, das quais 5 de Ouro e 2 de Prata. Espanha fechou o pódio com 6 medalhas (3 de Ouro, 2 de Prata e 1 de Bronze).

 

Artigos que também deverás gostar

Deixar um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Sobre os Campeonatos Europeus Atletismo Pista Coberta - Glasgow 2019