Kipchoge e Dalilah Muhammad eleitos atletas do ano pela World Athletics

Kipchoge Dalilah Muhammad atletas do ano World Athletics

Na noite passada, o Fórum Grimaldi (Mónaco) acolheu mais uma edição da World Athletics Awards 2019. Uma gala – agora com novo nome, devido à alteração recente do título da sua organizadora de “IAAF” para “World Athletics” que condecora os atletas do ano em várias categorias. Eliud Kipchoge arrecadou o prémio masculino de atleta mundial do ano, enquanto Dalilah Muhammad foi a grande vencedora no feminino.

Sem surpresa, Eliud Kipchoge venceu o prémio pelo segundo ano consecutivo. O queniano, que não esteve presente na gala, tinha a concorrência de Karsten Warholm (Noruega), Joshua Cheptegei (Uganda), Sam Kendricks (E.U.A.) e Noah Lyles (E.U.A). A vitória na Maratona de Londres, e o feito no INEOS:159 Challenge (ainda que não seja um feito oficial), terão pesado neste resultado.

No lado feminino, numa disputa que prometia ser mais equilibrada, Dalilah Muhammad (400 metros barreiras) foi a grande vencedora. A norte-americana destacou-se em relação a Yulimar Rojas (Venezuela), Brigid Kosgei (Quénia), Sifan Hassan (Holanda) e Shelly-Ann Fraser-Pryce (Jamaica).

Nota ainda para Braima Dabó, guineense que atualmente vive em Portugal e representa o Maia Atlético Clube, que foi distinguido com o prémio fair-play, depois daquele gesto maravilhoso que correu o mundo durante os Mundiais em Doha (Catar).

No que toca aos prémios Rising Star (atletas jovens em ascensão), Selemon Barega (Etiópia) venceu no masculino. Ele que foi medalha de prata nos 5000 metros em Doha. Já Yaroslava Mahuchikh (Ucrânia) arrecadou este galardão no feminino. A jovem esteve em grande plano no Catar, neste caso no salto em altura, onde também foi medalha de prata.

 

Fonte: Inside the Games

Imagem de Capa: Fernando Frazão/Agência Brasil [CC BY 3.0 br], via Wikimedia Commons

 

nv-author-image

Renato Sousa

Ligado ao desporto desde pequeno, deixei definitivamente o futebol em 2016 para me dedicar afincadamente ao atletismo. Desde aí que muita coisa mudou na minha vida, a qual não imagino sem o desporto. O Vida de Maratonista nasce então da minha paixão pelo atletismo, com contribuição especial da minha Licenciatura em Engenharia Informática, que me permitiu criar a solo este espaço de aventura e opinião, e torná-lo agradável a quem o visita.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.