Mundiais Atletismo Pista Coberta – Birmingham 2018: Dia 2

Campeonatos Mundiais Atletismo Pista Coberta - Birmingham 2018 IAAF

O segundo dia dos Mundiais de Pista Coberta ficou marcado pelo domínio da Costa do Marfim nos 60m planos femininos. Um dia de competição que contou com três atletas portuguesas em prova, as quais dignificaram o nosso Portugal.

 

400m Masc – Bralon Taplin fora da final

As eliminatórias dos 400m masculinos ficaram marcadas pela completa eliminação de uma das séries. Nomeadamente, aquela em que esteve presente um dos grandes favoritos à vitória final, Bralon Taplin (Granada). Consta que todos terão passado das suas pistas para “a corda” antes do tempo. Uma irregularidade que não foi possível de confirmar, quer no direto, quer nas várias repetições.

 

400m Masc – Óscar Husillos bate recorde nacional

Depois das várias desqualificações que assolaram a primeira ronda dos 400m masculinos, as meias finais revelaram-se muito disputadas e agradáveis de se ver. Destaque para Óscar Husillos, que bateu o recorde nacional de Espanha.

Assim como para o equilíbrio da última série, que acabou com a vitória de Pavel Maslák (República Checa). Detentor atual deste título de pista coberta, o checo apresentou algumas dificuldades em ambas as eliminatórias, apesar de ter vencido a sua meia final. Veremos o que consegue fazer na final.

 

Mundiais Atletismo Pista Coberta – Birmingham 2018: Dia 2

Foto: filip bossuyt

 

400m Fem – Prestação positiva de Cátia Azevedo

Apesar de não ter conseguido a qualificação, a atleta esteve perto. Cátia Azevedo foi terceira classificada na sua série, com registo de 54.17 segundos. Fica a ideia que a certa altura andou indecisa entre ultrapassar por dentro ou por fora quem estava à sua frente, obrigando-se mesmo a abrandar. Em bom plano na reta final.

A final dos 400m femininos disputa-se hoje. Estados Unidos da América e Reino Unido têm boas probabilidades de vitória, depois de terem conseguido preencher 4 das 6 vagas disponíveis.

 

3000m Masc – Paul Chelimo desqualificado

Mais uma prova que ficou marcada por muitas desqualificações, nomeadamente na segunda série. Paul Chelimo (E.U.A) e Richard Ringer (Alemanha) foram alguns dos visados, depois de terem garantido a qualificação na pista. Uma decisão da organização que abriu muitas vagas na primeira série, nomeadamente para Shadrack Kipchirchir. O norte-americano quase caiu a 700m do final da sua eliminatória e nunca mais apanhou o comboio da frente. Desta feita, tem agora uma segunda oportunidade na final para mostrar o que vale.

Nota ainda para Davis Kiplangat (Quénia). O atleta que representa o Sporting Clube de Portugal esteve em grande plano na sua eliminatória e também terá uma palavra a dizer na luta pelas medalhas.

 

Mundiais Atletismo Pista Coberta – Birmingham 2018: Dia 2 - Paul Chelimo

Foto: U.S. Army

 

800m Masculinos com poucos atletas

Dez atletas presentes para preencherem seis lugares na final. Assim arrancou esta prova em Birmingham, onde os nossos vizinhos espanhóis estiveram em alta. Os desempenhos de Álvaro de Arriba e Saúl Ordóñez, ambos qualificados para a final, demonstram boas possibilidades de Espanha chegar às medalhas.

Álvaro de Arriba terá mesmo conquistado o público presente com o seu desempenho. Depois de fazer toda a prova na cauda do curto pelotão, uma reta final em grande estilo levou-o a ser primeiro na sua eliminatória.

 

1500m Fem – Voltaram as protagonistas dos 3000m

Genzebe Dibaba, Laura Muir, Sifan Hassan. As medalhadas dos 3000m garantiram todas presença na final de hoje que promete ser muito interessante.

Estas eliminatórias ficaram marcadas pela queda acidental de Meraf Batha. A atleta sueca terminou a prova e abandonou o recinto em lágrimas. O conforto veio por parte das suas companheiras de prova e, mais tarde pela própria organização que a dá como qualificada para a final. Veremos como irá reagir a atleta, após este conjunto de emoções fortes.

 

Mundiais Atletismo Pista Coberta - Birmingham 2018: Dia 1

Foto: Augustas Didžgalvis

 

Salto em Comprimento Masc – Disputa muito acesa

A primeira final do segundo dia de mundiais foi altamente disputada, para agradado de qualquer espectador. Juan Miguel Echevarría (Cuba) garantiu o Ouro com um salto de 8.46m. Porém, a medalha mais desejada mudou várias vezes de portador, devido à excelente réplica do sul-africano, Luvo Manyonga (8.44m). Um jogo de parada e resposta entre os dois, com melhores marcas mundiais do ano à mistura.

Marquis Dendy (E.U.A.) ficou com o bronze, graças ao seu recorde pessoal de 8.42m.

 

Pentatlo Fem – Johnson-Thompson domina

Para delírio do público. A correr em casa, a atleta britânica não deu hipótese à concorrência. Na derradeira prova (800m), Ivona Dadic (Áustria) ainda tentou fazer alguma diferença para Johnson-Thompson, mas esta última voltou a levar a melhor. Curiosamente, as três primeiras dos 800m foram as mesmas que estavam no pódio do pentatlo até essa altura.

Desta feita, Katarina Johnson-Thompson ficou com o Ouro, Ivona Dadic com a prata, e Yorgelis Rodríguez (Cuba) com o bronze.

 

Mundiais Atletismo Pista Coberta – Birmingham 2018: Dia 2

Foto: William Warby

 

Pentatlo Fem – Lecabela Quaresma na oitava posição

Com um total de 4424 pontos, Lecabela Quaresma garantiu um oitavo lugar bem positivo na classificação geral. Na décima posição antes de participar nos 800m, o nono lugar alcançado na última prova permitiu-lhe subir dois lugares. A pontuação final alcançada foi a sua terceira melhor de sempre no pentatlo.

 

Lançamento do Peso Fem – Vitória para Anita Márton

Depois de uma primeira parte em que o comando da prova pertenceu a Danniel Thomas-Dodd (Jamaica) e a Lijiao Gong (China), o Ouro acabou no pescoço de Anita Márton (Hungria). À terceira tentativa, a húngara lançou 19.48m e assegurou o primeiro lugar. No lançamento de comemoração, Anita ainda presenteou um público com um registo superior: 19.62m.

Com 19.22m, Danniel Thomas-Dodd permitiu à Jamaica conquistar uma medalha inédita nesta prova. Com 19.08m, Lijiao Gong assegurou o bronze, à frente da sua compatriota, Yang Gao.

 

60 Metros Fem – Lorène Bazolo nas eliminatórias

Uma prova que se realizou na totalidade neste segundo dia. Primeira eliminatória na parte da manhã, tarde com meias finais e final. A ronda inaugural, contou com a presença de Lorène Bazolo. Sexta classificada na terceira série, os 7.39s da atleta portuguesa não lhe permitiram seguir em frente. No pós-prova, a própria confessou estar desiludida com a marca alcançada.

 

60 Metros Fem – Dobradinha para a Costa do Marfim

As grandes emoções despertaram logo nas meias-finais.Especialmente na série 2. As atletas tiveram que aguardar bastante tempo pelos resultados finais oficiais, dado o tremendo equilíbrio que se fez sentir na luta pelo apuramento.

Na verdade, Michelle-Lee Ahye (Trindade e Tobago) e Remona Burchell (Jamaica), segunda e terceira classificadas, respetivamente, ficaram exatamente com o mesmo tempo. Uma situação que justificou toda a demora na saída dos resultados e suspense criado. Embora só duas atletas fossem qualificadas diretamente, este registo (igual até ao milésimo) obrigou à qualificação direta desta dupla, mais a vencedora da mesma. Resultado? Só houve lugar para uma repescada.

Na tão aguardada final, a Costa do Marfim não deu qualquer hipótese. Murielle Ahouré (6.97s) foi a grande vencedora, seguida pela compatriota, Marie-Josée Ta Lou (7.05s). Mujinga Kambundji (7.05s), da Suiça, garantiu o terceiro lugar.

Não que tivesse obrigação. Contudo, depois do que apresentou antes da final, incluindo o seu recorde pessoal (7.11s), esperava outra surpresa positiva de Carolle Zahi na final.

 

Mundiais Atletismo Pista Coberta – Birmingham 2018: Dia 2

Foto: Chell Hill

 

Assim foi o dia de ontem. Veremos o que nos reserva o dia de hoje. Depois do 12º lugar de Tsanko Arnaudov (19.93m) esta manhã, a sessão da noite está repleta de finais que prometem ser muito disputadas. Uma delas é a do triplo salto, onde estará presente o nosso Nelson Évora. Voa Nelson!

 

nv-author-image

Renato Sousa

Ligado ao desporto desde pequeno, deixei definitivamente o futebol em 2016 para me dedicar afincadamente ao atletismo. Desde aí que muita coisa mudou na minha vida, a qual não imagino sem o desporto. O Vida de Maratonista nasce então da minha paixão pelo atletismo, com contribuição especial da minha Licenciatura em Engenharia Informática, que me permitiu criar a solo este espaço de aventura e opinião, e torná-lo agradável a quem o visita.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.