Encontro na estrada com os heróis da Marvel e da DC

Capitão América - atletismo super-heróis Marvel DC Universe

Há uns meses atrás, no decorrer da La Vuelta ou do Giro d’ Itália (já não consigo precisar), o comentador da Eurosport, Gonçalo Moreira, associara cada um dos ciclistas no TOP 10 da classificação geral da prova a um super-herói da Marvel ou da DC. Achei a ideia tão engraçada que ela ficou-me na cabeça. Nos últimos dias, debrucei-me mais seriamente sobre o assunto e cheguei à conclusão que estes super-heróis também andam na estrada. Porém, não de um ponto de vista individual, mas por via das características e comportamentos que segmentam os atletas em grupos e os identificam com determinados super-heróis (ou vice-versa).

Na verdade, alguns atletas podem até vestir a capa de mais do que um super-herói. Afinal de contas, assim como nós temos equipamentos e sapatilhas específicas para treinos e provas, quem disse que o mesmo indivíduo não se pode esconder atrás de fatos e máscaras diferentes, consoante os dias? Numa lógica semelhante, é igualmente importante referir que aqui não existe diferenciação de género. Cada um(a), pode perfeitamente ser associado a um ou mais super-heróis do sexo masculino ou feminino. Identifiquem-se! E desmascarem os vossos companheiros de corrida!

 

Homem-Aranha (Spider-Man)

Atleta que, inserido num grupo, demonstra desde cedo estar em dificuldades, mas nunca descola definitivamente. Pode até perder o contacto com o grupo por uns segundos, mas lá acaba por reentrar e por ali se manter. Costuma-se dizer que estes atletas “vão no elástico”. Não é bem assim, eles vão é a fazer uso das suas teias para nunca perderem o comboio, mesmo que este ganhe mais velocidade.

 

Mulher-Maravilha (Wonder Woman)

Atleta que surge numa prova sem ninguém conhecer. Por vezes equipada de maneira um pouco diferente do típico corredor, chega ali e tem uma prestação que não passa despercebida ao corredor ou espectador minimamente atento. À semelhança da Mulher-Maravilha, oriunda da ilha Themyscira, que, embora fora do contexto da sociedade moderna, dá cabo de tudo (se for necessário!) quando lá chega, também estes “atletas-maravilha” chegam às provas, seja pela via de outros desportos ou com a simples ideia de fazerem exercício físico, e acabam por “partir” toda a concorrência, ou uma boa parte dela.

 

Capitão América (Captain America)

O atleta patriota, como o nome sugere. O atleta salvador da nação. Aquele que, apesar de ter poucos apoios e nem sempre as melhores condições de treino para potenciar o seu talento, ainda assim é capaz de levar a nossa bandeira e o nosso país a um lugar de destaque nas grandes competições, enchendo-nos de orgulho.

 

Homem de Ferro (Iron Man)

Atleta que, após o tiro de partida, sai disparado e corre uma primeira parte de prova mais rápida do que seria aconselhado. O resultado? É o mesmo que acontece a Tony Stark quando este fica sem bateria no seu fato: encostar, carregar um pouco de energia de alguma forma, e depois prosseguir a um ritmo mais lento ou então voltar para trás. Uma vez que esta situação não é nada animadora para o atleta, é desejável que também ele tenha o mesmo sentido de humor deste super-herói.

 

Pantera Negra (Black Panther)

Atleta que se encontra no topo da forma: física e mentalmente. À semelhança do Rei de Wakanda, que, nos dias do ritual cerimonial, bebe uma poção e ganha poderes, para o atleta, esta cerimónia traduz-se num longo e diversificado conjunto de treinos (bem executado!), que o conduz a esse pico de forma e ao dia perfeito, surpreendendo-se a si próprio e a toda a concorrência com as suas novas capacidades.

 

Wolverine

Atleta da superação. Aquele que usa a corrida como veículo para ultrapassar algum problema de saúde ou até outro tipo de dificuldade. Assim como Wolverine tem um incrível poder regenerativo ao nível dos tecidos musculares e dos órgãos, este atleta, de certa forma, renasce na corrida. Por vezes, quase se transforma noutra pessoa. Além disto, ainda faz uso das suas garras de adamantium para exterminar as adversidades com convicção, pois não se contenta em mantê-las à distância e “domesticadas”.

 

Jean Grey (Phoenix)

Atleta capaz de convencer outros que o acompanham a agir de acordo com as suas necessidades. Quer isso signifique fechar um espaço entre grupos, dar o corpo ao vento enquanto ele se protege, acelerar o ritmo porque vai lento, abrandar porque vai rápido, enfim, uma panóplia de coisas que sejam da sua conveniência. Por outras palavras, é o atleta que exerce uma espécie de controlo da mente para, à semelhança do que acontece com esta mutante, servir os seus propósitos.

 

Batman

O atleta que se transforma durante a corrida, tornando-se irreconhecível, um pouco à semelhança das personalidades distintas que Bruce Wayne-Batman conjuga. Assim, os Batmans da corrida podem ser:

  • os atletas tímidos e introvertidos fora dela, mas que, por via da competividade e do esforço físico, libertam cá para fora toda a sua essência;
  • os atletas altamente descontraídos antes das provas, que entre o momento da partida e da chegada levam tudo muito a sério (o que até se coaduna com a falta de sentido de humor do Batman).
  • entre outros.

 

Vespa (Wasp)

O atleta incapaz de estar calados durante uma corrida, mesmo quando o esforço é elevado. Enquanto a maioria segue calada e concentrada na sua prestação, volta e meia surge alguém que encaixa neste tipo de atleta e que vai sempre ali a zunir. Quase sempre, também ele vai em grande esforço. No entanto, tem sempre energia suficiente para ir ali a zunir ao nosso ouvido, e às vezes também nos obriga a falar.

 

Homem-Formiga (Ant-Man)

O Homem-Formiga partilha com a Vespa a capacidade de diminuir de tamanho sem perder os poderes. Todavia, como não zune, não se dá por ele. Conclusão? É aquele atleta cuja presença só nos apercebemos quando surge ao nosso lado, repentinamente (o mesmo que dizer: quando o homem-formiga volta ao tamanho normal). Ele aparece de sorrateiro, em “palmilhas”, causando susto em várias ocasiões.

 

Arqueiro Verde (Green Arrow)

A precisão com o arco do Green Arrow é tão invejável quanto a do atleta que diz que vai correr uma prova em X tempo e, no final, a previsão confirma-se. Sim, porque se o primeiro não dispara misseís telecomandados no verdadeiro sentido do termo, e o segundo, grande parte das vezes, também não se orienta pelo relógio, mas recorre às sensações do corpo.

 

Nota: O autor escreve de acordo com o antigo Acordo Ortográfico.

Imagem de Capa: AATIFMUHAMMAD do Pixabay

 

29690cookie-checkEncontro na estrada com os heróis da Marvel e da DC
nv-author-image

Renato Sousa

Ligado ao desporto desde pequeno, deixei definitivamente o futebol em 2016 para me dedicar afincadamente ao atletismo. Desde aí que muita coisa mudou na minha vida, a qual não imagino sem o desporto. O Vida de Maratonista nasce então da minha paixão pelo atletismo, com contribuição especial da minha Licenciatura em Engenharia Informática, que me permitiu criar a solo este espaço de aventura e opinião, e torná-lo agradável a quem o visita.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.