Team Ingebrigsten Episódio 4 – O Sénior Jakob!

Team Ingebrigtsen Episódio 1 - Reflexão

Ou devo dizer, Senhor Jakob?! Sabiam? Que a palavra “senhor” deriva do latim da palavra “senior”? Bem, não interessa … A reter? Jakob Ingebrigsten ainda não tinha 15 anos e já andava a competir com os “grandulas” em eventos conceituados. Esta constatação foi nota de destaque no fecho deste quarto capítulo, marcado pela cedência de Henrik aos seus impulsos e pelas conversas adultas entre Gjert e a sua filha de 8 anos, Ingrid.

 

Henrik e Gjert em constante discordância!

Primeiro por causa de uma mota. Depois porque Henrik tem agora uma namorada. Este quarto episódio incide muito nestes duelos entre pai, filho e treinador. Sim, na verdade são três, pois Gjert surge com discursos para ambos os assuntos que encaixam no seu papel de pai e de treinador, consoante o rumo das conversas.

Sem abrir muito o jogo (spoilers!!!), o que mais me marcou neste tópico foi a palavra “impulso”. Um termo referido por Gjert para caracterizar o filho, chamando à atenção que não se coaduna com uma vida de profissional de atletismo. A mota é só um exemplo, mas pode ser aplicado de igual forma ao exercício atlético.

De facto, acredito eu, a nossa evolução neste desporto vive muito do trabalho diário à procura de resultados a longo prazo, da consistência, de se acreditar no que se está a fazer. Ao contrário do futebol, no qual se vive muito o momento, aqui não se deve pôr tudo em questão quando um dia corre mal ou aparece um resultado menos positivo. São acontecimentos como estes que muitas vezes geram tentações e dão força aos nossos impulsos de querer mudar tudo por causa de um momento menos bom.

 

Ingrid tem mesmo 8 anos?!

Deem um Óscar a esta jovem. Ou melhor, talvez não! Afinal de contas, talvez Ingrid Ingebrigsten não estivesse a representar, mas a ser ela própria! Porém, a conversa adulta que trava com o pai em relação a Henrik e à família Ingebrigsten no seu todo, ao mesmo tempo que apresenta uma postura bastante “carismática”, deixa qualquer um estupefacto. Um diálogo que vale muito a pena ver.

Todavia, tal conversa não teria tanto valor caso a cena seguinte não existisse. Um momento onde Ingrid surge a falar sozinha para a câmara sobre a família e o seu futuro. A única filha dos Ingebristen só tem 8 anos e já se sente pressionada a seguir uma carreira de atleta para manter a força da família. Não que ela não queira, pois está desejosa por ser treinada pelo pai. A sua única dúvida reside no tédio que identifica na vida dos seus irmãos mais velhos para estes poderem ser atletas de alta competição.

 

Jakob começa a ser o centro das atenções!

Aos poucos e poucos, resultado de toda a esperança que a família vem a depositar nele desde muito cedo, Jakob vai reclamando protagonismo na trama.

A comemoração dos seus 14 anos (finais de 2014) foi até um dos pontos menos importantes do episódio. Todavia, foi um dia simbólico que ajudou a canalizar as atenções para as mudanças incrementais na sua vida com vista a um futuro de atleta de nível mundial. Desde a mudança de rotinas a novas questões sobre a certeza de querer o atletismo para o seu plano profissional, tudo culminou da melhor maneira com a sua participação, junto dos seniores, nos 1500m dos Bislett Games 2015. O lugar alcançado era um dos menos previsíveis! Não vou dizer! Façam as vossas apostas e vão ver o resultado final.

 

Apontamentos Finais

Tudo indica que Jakob vai tornar-se a personagem principal com o desenrolar da trama. O atletismo está na origem de “Team Ingebrigsten”, sendo esta a “personagem” com mais potencial para surpreender. Ao estarem numa fase mais adiantada das suas carreiras, Henrik e Filip já perderem um pouco o dito “efeito novidade”. Desta forma, acompanhar o jovem Jakob é sempre mais interessante, ainda para mais tendo em conta a sua projeção no presente. Recordo que este episódio foca momentos de 2014 e 2015.

Apesar dos esforços da produção em destacar Jakob neste capítulo, a par dos conflitos entre Henrik e Gjert, Ingrid terá mesmo conseguido roubar o ponto alto deste número 4 aos seus irmãos. Pessoalmente, fiquei bastante marcado pela sua intervenção curta, mas intensa. Em relação ao dilema que Ingrid traz para “cima da mesa” da vida aborrecida dos irmãos pela causa do atletismo, parte da solução poderá ser encontra nas palavras do pai quando fala sobre o futuro de Jakob. Vida aborrecida? É tudo uma questão de: “… tirar mais de positivo do que negativo da dedicação empregue [no atletismo]”.

 

nv-author-image

Renato Sousa

Ligado ao desporto desde pequeno, deixei definitivamente o futebol em 2016 para me dedicar afincadamente ao atletismo. Desde aí que muita coisa mudou na minha vida, a qual não imagino sem o desporto. O Vida de Maratonista nasce então da minha paixão pelo atletismo, com contribuição especial da minha Licenciatura em Engenharia Informática, que me permitiu criar a solo este espaço de aventura e opinião, e torná-lo agradável a quem o visita.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.