TOP 10 Momentos Atletismo 2018 – Vida de Maratonista

Quando estar em forma não corresponde a ser saudável

Com 2018 já muito perto do seu final, esta altura costuma ser propícia em flashbacks e recordar de momentos que marcaram o ano prestes a terminar. Uma onda que enquanto responsável do Vida de Maratonista não quis deixar de surfar, pelo que hoje aqui estou para partilhar convosco os meus 10 momentos do ano no panorama do atletismo nacional e internacional.

O TOP que se segue representa uma opinião pessoal e foi naturalmente influenciado pelas competições que tive oportunidade de acompanhar ou seguir com mais atenção em 2018. Por falta de tempo, ou pela ausência de transmissão, outros momentos marcantes do ano poderão estar em falta. Uma lacuna que vocês, leitores do blog, podem perfeitamente preencher ao referirem esses momentos na secção de comentários deste artigo. Deixo-vos a sugestão 🙂

Ainda em relação ao TOP apresentado já de seguida, note-se que a ordem de disposição dos vários momentos é aleatória, não estando estes colocados por grau de preferência ou de importância.

 

TOP 10 Momentos Atletismo 2018 – Vida de Maratonista

 

Vitória de Yuki Kawauchi na Maratona de Boston

Yuki Kawauchi. O “citizen runner” nipónico que todos conhecem por fazer uma dúzia de maratonas por ano, sempre com grande nível (casa das 2h10, 2h15), surpreendeu tudo e todos ao vencer a conceituada Maratona de Boston. A edição deste ano ficou marcada por condições meteorológicas muito adversas, mas isso não invalida ou retira qualquer mérito a Kawauchi nesta grande conquista, já que as circunstâncias de corrida são iguais para todos e também têm a sua parte específica de adaptação.

No alinhamento da elite masculina, muitos eram os atletas com marcas mais rápidas que Kawauchi na distância. Um grupo onde figuravam nomes africanos bem conhecidos nestas andanças como Geoffrey Kirui, Lemi Berhanu, Lelisa Desisa, Tamirat Tola e Wilson Chebet, para além do norte-americano Galen Rupp.

 

 

Nelson Évora conquista medalha de Ouro nos Campeonatos da Europa

Uma medalha de Ouro que significa muito para Portugal e, deduzo eu, mais ainda para o próprio Nelson Évora. Todavia, mais do que o próprio salto que valeu esta conquista, o que me marcou verdadeiramente foi o momento anterior ao início do salto.

Na minha opinião, foi ali que Évora começou a desenhar o Ouro. Reparem na forma como puxou pelo público presente no estádio para o apoiar. Na forma como o atleta português desfrutou daqueles instantes que anteciparam uma prestação de grande exigência e de alta pressão. A cara do Nelson antes do salto retrata tudo isto. Ali, ele podia ainda não ter a medalha (fisicamente), mas na sua cabeça fica a ideia que sim.

 

 

Polónia vence 4 x 400m estafetas nos Mundiais de Pista Coberta

Uma escolha feita pelo recorde do mundo alcançado, mas acima de tudo pela prova em si. O equilíbrio entre as 4 equipas que seguiam na frente manteve-se até final, transportando para o espectador uma boa dose de emoção e interesse. Porém, para ser possível diferenciar este de outros momentos semelhantes, foram os últimos metros desta corrida dos mundiais de Birmingham que trouxeram o ingrediente que faltava para a destacar: a reviravolta.

 

 

Vera Nunes vence Wings for Life a nível mundial

Um feito que destaquei no Vida de Maratonista logo na altura em que aconteceu. Numa prova cujo objetivo é correr o maior número de quilómetros possível, Vera Nunes não foi apenas a melhor na cidade onde correu (Munique). A atleta portuguesa foi mais longe (53,78K) que qualquer outra atleta a nível mundial, nesta competição solidária que decorre em simultâneo em muitos países. Um feito ao alcance de poucos, e que só não deixou Portugal mais orgulhoso porque pouco se difundiu.

 

 

Vitória para Conseslus Kipruto nos 3000m obstáculos em Zurique

Com apenas uma sapatilha! Não sei se a perdeu ou se a atirou para o lado por o estar a incomodar. Vejam por vocês. Certo é que o queniano correu quase toda a prova apenas com uma sapatilha, não esquecendo a parte dos obstáculos. Apesar do contratempo, Conseslus Kipruto ainda foi capaz de superar a forte concorrência do marroquino Soufiane El Bakkali e arrecadar a vitória neste meeting da Liga Diamante que se realizou em Zurique.

Para lá do acontecimento, este vídeo volta a levantar a questão da necessidade das sapatilhas. Veja-se a força e a velocidade deste atleta, ao mesmo tempo que corre de forma tão natural.

 

 

Eliud Kipchoge estabelece novo recorde do mundo na Maratona

Ao nível do atletismo, Berlim teve um mês de Agosto incrível ao receber os Campeonatos Europeus. Contudo, o acontecimento mais importante (embora isto seja sempre discutível) a que a cidade assistiu este ano, estava reservado para setembro, altura da realização de mais uma Maratona de Berlim.

Na sua 45ª edição, a prova voltou a apresentar um percurso fantástico, a ter grande aderência do público, a receber condições meteorológicas excelentes e, acima de tudo, a contar com a presença do “Sr. Incrível”, o queniano Eliud Kipchoge, que não se cansa de desafiar a distância da maratona e de surpreender toda a gente.

Desta forma, Berlim teve o privilégio de ver Kipchoge escrever o seu nome na lista dos recordistas mundiais da maratona, com a marca de 02h01min38seg. Um prémio mais do que merecido para este enorme atleta, por tudo o que já proporcionou à distância mítica, ao atletismo, e aos seus adeptos.

 

 

Rui Teixeira sagra-se Campeão Nacional de Corta Mato Longo

Benfica e Sporting eram os grandes candidatos ao título, não apenas pelo nível dos seus atletas, como pelo número de presentes. Os dois clubes lisboetas contabilizavam mais de 20 atletas nesta disputa em Monforte e ambos deixaram o seu contributo no enriquecimento desta competição.

O Sporting pela vitória altamente meritória de Rui Teixeira. Tendo em conta os presentes, creio que existiam candidatos teoricamente mais fortes. O Benfica pela forma como o Rui Pinto abordou a prova e pelas suas palavras. Sendo o maior candidato ao título, à partida, o atleta optou por isolar-se muito cedo na prova com o intuito de ganhar com clara distinção. Uma estratégia que correu mal, mas que o próprio confirmou nas suas declarações no final quando disse que ganhar a prova não era suficiente para ele.

Em suma, a prestação soberba que levou Rui Teixeira ao tão desejado título, aliada à ousadia e ambição desmedida de Rui Pinto, fizeram-me colocar esta competição neste TOP.

 

 

Armand Duplantis vence salto com vara nos Campeonatos da Europa

Um dos melhores momentos dos Campeonatos da Europa de Atletismo deste ano, disputados em Berlim. Com apenas 18 anos, Armand Duplantis foi o grande protagonista de uma cena que, como eu disse numa rede social na altura, representa a beleza e a glória do atletismo no seu expoente máximo. O desporto no seu estado mais puro!

Na curta-metragem que se segue sobre aquela noite em Berlim, é possível ver a capacidade de superação de um jovem, o reconhecimento dos seus maiores e mais experientes adversários, e um público fantástico à volta a testemunhar a criação de uma nova página de história do atletismo.

 

 

Inês Henriques sagra-se Campeã da Europa dos 50 Km Marcha

Uma prova, duas vitórias para Inês Henriques.

Para os mais distraídos, convém lembrar que foi a própria Inês Henriques que lutou pela inserção desta competição nos Campeonatos da Europa de Atletismo. Essa foi a sua primeira grande vitória no evento. A segunda já diz respeito à prova em si. Foi mais um enorme feito de uma atleta que nos últimos tempos tem proporcionado momentos mágicos ao desporto português.

 

 

Jakob Ingebrigtsen faz a dobradinha nos Campeonatos da Europa

Com apenas 18 anos, Jakob, o mais novo dos três irmãos Ingebrigtsen em competição, não só provou estar em melhor momento que os seus irmãos, como de toda a elite sénior que se apresentou em Berlim para disputar os 1500m e 5000m, tornando-se uma das maiores figuras destes campeonatos.

Se nos 1500m a vitória foi disputada com os rivais europeus, nos 5000m tivemos oportunidade de assistir a um duelo familiar entre Jakob e Henrik Ingebrigtsen, onde o mais novo mostrou como se faz.

 

 

 

E assim ficou completo este meu TOP 10 de momentos do atletismo referente ao ano 2018. Concordam com as escolhas? 🙂

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

nv-author-image

Renato Sousa

Ligado ao desporto desde pequeno, deixei definitivamente o futebol em 2016 para me dedicar afincadamente ao atletismo. Desde aí que muita coisa mudou na minha vida, a qual não imagino sem o desporto. O Vida de Maratonista nasce então da minha paixão pelo atletismo, com contribuição especial da minha Licenciatura em Engenharia Informática, que me permitiu criar a solo este espaço de aventura e opinião, e torná-lo agradável a quem o visita.